Dalva Negra – Marcelo Oliveira


21ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2013.

DALVA NEGRA

Letra: Rafael Teixeira Chiapetta
Música: Marcelo Oliveira
Intérprete: Marcelo Oliveira

Negra linda como a noite
Que se estende na planura
Pele macia de negra
Cor de pitanga madura

Só eu que sei o teu nome
Nunca contei a ninguém
Quem tanto quis descobrir
Pois não valia um vintém

Mas que florão de donzela
Flor bela deste rincão
Que inspira os brotos da alma
Nas cordas do meu violão

Negra dos meus encantos
Cantos que canto pra ti
Em todas outras por Dalva
Mais bela que tu nunca vi

Prenda que és linda por negra
Pitanga doce num beijo
Que tem dois olhos picaços
Templados de lunarejo

Banhando esta flor de morena
Na água corrente da sanga
Minha alma toda se adoça
Provando desta pitanga

Quando solito no rancho
Floreando o meu violão
Te trago dentro do peito
No tronco do meu coração

Assim te vou descobrindo
Em cada nota floreada
Te vejo então Dalva negra
Com raios de lua encantada

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s