Gastando Rumos na Poeira – Miguel Marques


16ª Comparsa da Canção – Pinheiro Machado – RS – 2002.*

GASTANDO RUMOS NA POEIRA

Letra: Érlon Péricles
Música: Érlon Péricles
Intérprete: Miguel Marques

Ando por léguas de estrada no lombo do baio,
Uma saudade estradeira me faz o fiador.
O horizonte nos olhos, o chapéu tapeado,
As ânsias seguindo soltas pelo corredor.

As alegrias e mágoas fazendo costado,
O sentimento na volta querendo aflorar…
Procuro o jeito da prosa pra usar as palavras
E sei guardar o silêncio, se assim precisar.

Vou num compasso marcado,
Meu pingo trocando orelha,
Os sonhos vão a lo largo,
Gastando os rumos na poeira!

Eu ando bem, a cavalo,
E levo a vida serena…
Proseando com a alma,
Cantando a querência nos versos que faço.

Ando encurtando distâncias nas voltas do pago,
Tenho o destino traçado e sei a direção.
Quem é de estrada, senhores, entende o que falo…
Pois sabe guardar os rumos do seu coração.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s