Pala da Noite – Pirisca Grecco


5º Um Canto Para Martin Fierro – Livramento – RS – 2003.
Composição premiada com o Segundo Lugar e Melhor Poesia.

PALA DA NOITE

Letra: Carlos Omar Villela Gomes
Música: Érlon Péricles
Intérprete: Pirisca Grecco

A lua é um buraco de bala no pala da noite
Oigalête! Mais que mira do atirador
Ou tava atirando pra cima, por rabo de saia
Ou tava fazendo tocaia pra Nosso Senhor

A bala furou este pala, presente do dia
Um pala de seda e poesia que a noite vestiu
E a noite coçada de bala, ergueu “três marias”
Tentando bolear de vereda a quem lhe agrediu

Já tava armada a peleia bem lá nas alturas
A noite de pala furado, de raiva tremia
Quem foi o bandido sem alma que só por maldade
Fez mira no pala da noite, o regalo do dia?

Mas Deus já cansado de guerra pediu uma trégua
Pra noite que tava tão cega de raiva e de frio
A noite largou “três marias” erguendo “‘cruzeiro”
E o céu se amansou novamente no sul do Brasil

Num fundo de campo tranquilo, Blau Nunes pitava
Foi só um balaço por farra, ninguém se pisou
E a noite ainda hoje chuleia querendo vingança
Blau Nunes é lenda e a história Simões não contou.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s