Gastando Estrada – Jorge Freitas


8ª Estância da Canção Gaúcha – São Gabriel – RS – 2000.

GASTANDO ESTRADA

Letra: Sabani Felipe de Souza, Juca Moraes e Miguel Bicca
Melodiaa: Sabani Felipe de Souza e Evandro Zamberlan
Intérprete: Jorge Freitas

Um dia o sonho que eu tinha calçou esporas,
Saltou no lombo da aurora de rumo certo…
Juntei meus cavalos mansos lá no potreiro
E o vento apartou os xucros pro campo aberto.

Saí no clarear do dia com bons cavalos:
Picaços, zainos, tordilhos e um colorado,
Quando a distância é longa a saudade amarga…
Quem têm cavalos de muda, não teme a estrada!

Bamo, bamo, cavalo, gastando estrada…
Bamo de mano a mano no corredor,
Bamo que um sonho é tudo e, às vezes, nada…
Só quero parar nos braços do meu amor!

E quando dei “oh, de casa!” nos olhos claros,
Destes que, por distantes, nos levam embora…
Deixei meu rancho solito, beirando um rio,
E o vento soprou estrelas e não esporas.

Assim plantei arvoredo, calcei cacimba,
Quinchei um rancho bonito pra minha amada,
Cerquei um quartel de milho pro colorado
E os mates cevaram a paz ao redor ‘das casa’!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s