A Cruz do Passo – Jari Terres e André Teixeira


20ª Vigília do Canto Gaúcho – Cachoeira do Sul – RS – 2009.

A CRUZ DO PASSO

Letra: Mateus Neves da Fontoura
Melodia: André Teixeira
Intérprete: Jari Terres e André Teixeira

Nem marca de cascos, nem rastro de tropa…
Na beira do Passo de águas serenas
Só a cruz entalhada em cerne de angico
Guardando proscrito que o tempo condena.

Parece um retrato prendendo as retinas
Que traz na moldura o espelho do rio
E junto a inquietude do meu desengano:
Quem foi o paisano, afinal, que partiu?

Talvez um andante saudoso da amada
Que errando a cruzada perdeu-se do vau…
Quem sabe um tropeiro fazendo o fiador
Nalgum redomão que esqueceu do bocal…

Sem nome gravado, nem velas ou flores,
Um marco esquecido entre a água e o campo
Benzido de ausência, de vento e mais nada,
Lembrança plantada no altar do barranco.

Nem marca de cascos, nem rastro de tropa…
No passo a certeza da vida finita,
Que a cruz entalhada revela em silencio:
O rio cobra o preço de quem facilita.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s