Garoazita Galopeada – Ita Cunha


33ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 2013.
Composição que conquistou o Primeiro Lugar, mais o prêmio de Melhor Intérprete para o Ita Cunha

GAROAZITA GALOPEADA

Letra: Evair Gomez, Fernando Soares e Eduardo Soares
Música: Mauro Moraes
Intérprete: Ita Cunha

Garoazita galopeada,
Me vou a trote na estrada
Num rosilho escarceador.
Por feio que seja a tarde,
Vou cruzando sem alarde,
Por vício de cantador.

Garoazita galopeada,
Num ranchito, hay ramada
Pra “oreá” as garras da lida.
E uma alma muy serena
Disfarçada na morena,
Tão fez meu rumo na vida!

Garoazita galopeada,
Levo a ânsia em disparada
Pra um ranchito duas águas,
Donde vive aquela flor.
E meu “pucho” tranqueador,
De um canto ao outro da boca…
Vai fumaceando por conta,
Por baldas de corredor.

Garoazita galopeada,
Que tarde pra bater água,
Por sua visita que seja.
Corre mansa no meu poncho,
Em direção aos encontros
Do rosilho que fareja.

Garoazita galopeada,
Arrocinei uma bragada
Que não quis trazer de tiro.
Soltei por gosto na estrada
Pra que aprenda morada,
Donde sofreno destino.

Garoazita galopeada,
Romanceiro fim da estrada
Num domingo pampa e flor.
Sigo os braços pra morena
Que a noite será pequena
Neste ranchito de amor…

Garoazita galopeada,
Só mais um tento pra mala,
Teu destino é meu abrigo!
Veio adiante essa bragada
Pra voltar na mesma estrada,
De tiro, junto comigo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s