Um Chasque na Madrugada – Ita Cunha


20ª Vigília do Canto Gaúcho – Cachoeira do Sul – RS – 2009

UM CHASQUE NA MADRUGADA

Letra: Osmar Proença
Música: Rogério Melo e Edilberto Bérgamo
Intérprete: Ita Cunha

A fumaça do branquilho
Manda um chasque pra boieira,
Me convidando que venha
Acordar a cozinheira,
Que venha tomar uns mates,
Sentindo o gosto da aurora
E ver suas irmãs choronas
Nos papagaios da espora.

Pode pegar um atalho
No canto do garnizé,
No rumo dos pirilampos,
No terreiro a bola-pé,
Que venha luzindo a prata
Nos arreios da esperança
E ao passar pelo potreiro
Já acorde ‘as vaca mansa’.

Este chasque fogoneiro,
Que se apaga na distância,
É do feitio da minha gente
Que ao madrugar diariamente
Conserva os rituais da estância.

Se não for pedir demais
Neste chasque sem floreio,
Aproveitando a bolada,
Toque os cavalos de arreio!
Pode ficar pelo posto
Até o clarão do arrebol
E se apagar sorrateira
De contraponto com o sol.

Eu penso que a estrela D’alva,
Rainha da madrugada,
Seria a alma xirua
De alguma china encantada
Que vem fletar com os parceiros
De mate e de nostalgia
Na hora em que a estância ‘véia’
Abre ‘as cancela’ pra o dia.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s