Um Certo Galpão de Pedra – Raineri Spohr e André Teixeira


16ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2008.
Composição que conquistou os prêmios de Primeiro Lugar, Melhor Melodia e Melhor Arranjo.

UM CERTO GALPÃO DE PEDRA

Letra: Xirú Antunes
Música: André Teixeira
Intérpretes: Raineri Spohr e André Teixeira

Cantigas de ronda antiga
Que há tempos não via mais
Querência, galpão de pedra
Fogão dos meus ancestrais

Destapa um sonho cautivo
Chuvita mansa e dolente
Que as vezes se para quieta
Só pra escutar minha gente

Madrugada se boleando
No coração cantador
Outras almas vão costeando
As brasas do parador

Cantiga que ronda
Pela pedra, pela brasa
Pela terra que moldou
O perfil de cada alma

O galpão reafirma o tempo
Templado pelos avós
Voz de vento, voz de tempo
Eterno que somos nós

Por fora é noite “muy” negra
Por dentro baeta vermelha
Mal comparando é um poncho
Sem o salpico de estrelas

E segue cantando minha gente
Serenateando “no más”
Um dia serão as pedras
Que habitam este lugar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: