Disfarce – Jader Duarte


2ª Esquila e Vindima do Canto Gaúcho – Encruzilhada do Sul – RS – 2019.
Composição premiada como Música Mais Popular.

DISFARCE

Letra: Renato Machado
Melodia: Jader Duarte
Recitado: Renato Machado
Intérprete: Jader Duarte

Quando o dia se agranda
Sem penumbrar as retinas
Num transe entre sol e lua
Vagueiam almas teatinas
Mas é lá dentro de um frasco
Na madrugada cinzenta
Que o coração não aguenta
E insiste em “fazê fiasco”

Entre dois goles sorvidos
E olhares desmaiados
Algo remete ao passado
E uma lagrima cai
Ou na lembrança do pai
Ou dos filhos já crescidos
E pra distrair um sonido
E um grito de sapucay

Mas pode ser um disfarce
Pra mascarar a vivência
De quem não tem muita crença
E pensa estar sozinho
Pois guardado no cantinho
Do coração machucado
Há um amor desacordado
Precisando de carinho

A insônia da madrugada
Entristece tranca a porta
E o vivente se comporta
Enrijecido feito rocha
Mas a alma se importa
E nos remete à mocidade
Quando um amor de verdade
Rasga o peito e desabrocha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s