Na Boca do Brete – César Oliveira


14º Terra e Cor da Canção Nativa – Pedro Osório – RS – 2002.*

NA BOCA DO BRETE

Letra: Anomar Danúbio Vieira
Música: Mauro Moraes
Intérprete: César Oliveira

Uma cevadura de mate.
Um cavalete encilhado.
Uma cuscada na volta.
Um capão gordo carneado…
Uma paisagem gaúcha,
O pampa pra toda lida,
E uma milonga campeira,
Gambeteando as maçanilhas!

Que anda na aba dos bastos.
Na copa do laço.
Nas marcas de casco.
Nas cordas de baixo.
Nas braças do corpo.
Nos dedos dos loucos,
Que tocam com a gente…

Que vão atrás da palavra,
Campeando guitarras,
A troco de nada,
Com a alma nas garras,
Conforme a invernada,
As cabanhas e os ginetes…

E ainda na boca do brete,
Uma gateada frente aberta,
Calçada das quatro patas,
Salta um grito de “vamo”!

Que anda na perna do freio.
Apartando em rodeio.
No choro do arreio.
Na volta da armada.
No novilho que senta.
No tranco que agüenta,
O tirão da bolada…

Que toca a vida por diante,
Correndo por fora,
Por causa de tudo,
Que o campo aflora,
Conforme a campanha,
As estâncias e a peonada…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: