A Cicatriz da Fronteira – Cristiano Quevedo e Jorge Freitas


10º Canto Missioneiro da Música Nativa – Santo Ângelo – RS – 2017.
Composição premiada com o Segundo Lugar e Melhor Letra (Rodrigo Bauer).

A CICATRIZ DA FRONTEIRA

Letra: Rodrigo Bauer
Melodia: Marcelinho Carvalho
Intérpretes: Cristiano Quevedo e Jorge Freitas

Um dia o campo estendido não tinha início nem fim…
Sem geografia ou arame que limitasse os confins!
Mas veio o gume da espada, com suas velhas bandeiras,
deixando sobre a querência a cicatriz da fronteira!

O mesmo homem-centauro de vocação pastoril
na Banda Oriental, no Prata e cá no Sul do Brasil!
Por certo os mesmos anseios, a mesma alma e matiz
de alguém que tem três retalhos formando essa cicatriz!

Divisa é um talho profundo
que o tempo, com sua adaga,
riscou no couro do mundo
e que ninguém mais apaga!

O rio é um corte que sangra em remansos e cachoeiras,
costura pontes e barcos na cicatriz da fronteira…
E lá na fronteira seca, quem não conhece adivinha
onde começa e termina sua pátria sobre essa linha!

Borges do Canto, Andresito, Rivera, Fernandes Lima…
São versos da mesma estrofe… Poemas da mesma rima…
Há um sapucay no silêncio, que a alma não tem barreiras
mesmo estampando na pampa a cicatriz da fronteira!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: