Idioma de Cordeona – Edilberto Bérgamo


17ª Sapecada da Canção Nativa – Lages – SC – 2009.

IDIOMA DE CORDEONA

Letra: Diego Muller e Martin César
Música: Edilberto Bérgamo
Intérprete: Edilberto Bérgamo

Sou fronteiriço, chamamecero
E meu destino é um peão que vai…
Semeando coplas, colhendo a vida.
Sou como o vento, canto ao passar.

Trago sonidos de pedra e selva
Pela cordeona que “és mi tapê”!
E todo o ar que respiro dela
Eu lhe devolvo num chamamé.

Minh’alma aflora pela cordeona,
Silvando um canto “avanheê”.
Por onde brota o antigo idioma
Da raça “cruda de Imaguaré”.

Para a tristeza, um chamamé,
Melhor remédio aqui “no hay”!
Nas alegrias, mais chamamé,
E de pronto hermano um sapucay!

Meus ancestrais cantam comigo,
Trazendo coplas de “mas alla”.
Elas habitam o canto índio
Que nem o tempo pode apagar…

E quando agarro minha cordeona,
Ela me agarra num só abraço.
Eu sou seu dono, ela minha dona,
Tocando a vida ao mesmo compasso.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: