Falquejando – Jorge Freitas


18ª Coxilha Nativista – Cruz Alta – RS – 1998.
Composição premiada com o Segundo Lugar e Melhor Conjunto Instrumental.

FALQUEJANDO

Letra: Miguel Bicca
Música: Sabani Felipe de Souza
Intérprete: Jorge Freitas

Diferença de palmo e serviço grosseiro,
Se não fica no plumo, é o prego que puxa.
Por isso falquejo no braço do pinho
Canções que só falam da alma gaúcha.

Meu verso é timbrado a casco de potro
No barro vermelho de algum corredor;
Às vezes é tigre cuidando da cria…
Às vezes cigarra cantando o amor.

Por isso que canto os versos que faço,
Falando de campos, de rios e cavalos,
De cordas trançadas, chalanas, machados,
E arroios bufando, e de como cruzá-los!

Quem canta os encantos do canto onde vive,
Tem mais do que muitos que canto não tem;
Se vão os poetas, mas ficam os versos,
Caminhos e rumos pra outros que vêm.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: